Muito ouvimos falar sobre a hipertrofia, a partir do momento que entramos na academia. Mas pouco sabemos sobre ela. É comum nos perguntarmos o que é a hipertrofia e não saber responder ao certo. Isso faz com que fiquemos ainda mais curiosos.

Com isso, é comum buscarmos a explicação na ciência. E, aliás, o que será que a ciência diz sobre a hipertrofia?

Leia esse post para ficar por dentro e saber tudo o que a ciência diz sobre o desenvolvimento muscular, mais conhecido como hipertrofia.

O Que Seria A Hipertrofia?

A hipertrofia é definida como um processo que acontece no corpo como resultado do treino de resistência. Como resultado leva ao crescimento ou aumento do músculo, mais precisamente da seção transversal do músculo.

A hipertrofia faz seu músculo aumentar em tamanho e também estimula a divisão celular em seu músculo, um processo chamado hiperplasia. Assim, ela é parte do processo de fortalecimento muscular que acontece no corpo.

Este processo não só aumenta o tamanho do músculo. Mas também a sua força e capacidade de suportar cargas maiores, além de proteger contra a dor e os danos causados pelo treino anterior

Mecanismos Da Hipertrofia

desenvolvimento-muscular

O corpo pode usar diversos mecanismos para o desenvolvimento muscular. Como, por exemplo, os seguintes:

  • Tensão mecânica – Quando o músculo é submetido a uma alta tensão otimiza seu crescimento.
  • Estresse metabólico – Quando o músculo recebe uma tensão por um período de tempo prolongado sofre um estresse metabólico que aumenta a síntese de proteínas.
  • Edema celular – Quando o músculo recebe muito sangue acontece um inchaço nas fibras musculares, isso possibilita uma melhor perfusão sanguínea estimulando o anabolismo num segundo momento.
  • Recrutamento de fibras brancas – Quanto maior o recrutamento dessas fibras responsáveis por força e potência maior a chance de hipertrofia.

O Que As Pesquisas Mostram Sobre Treinos De Musculação

Desenvolvimento muscular de modo rápido e eficaz, segundo as pesquisas é o SAID.
Esse modo é feito como se a adaptação específica para o esforço imposto, que expressa a chave de ganho muscular máximo.

Quando um músculo se contrai ao sofrer grande resistência, se adapta, ficando maior e mais forte segundo cientistas da Universidade da Califórnia. Do mesmo modo, se permanece contraído por longo período de tempo, ganha resistência à fadiga.

O princípio “said” acelera a síntese proteica muscular, pois esta permanece elevada até 48 horas após o exercício, segundo mostra os estudos da unidade de medicina da Universidade do Texas – EUA.

Assim, se você treina às 7h da segunda-feira, seu corpo continua em processo de expansão até quarta-feira no mesmo horário. Dois dias depois, cessa o estímulo biológico para a renovação muscular.
Assim, partindo desse princípio, exercitar todo o corpo 3 vezes por semana é a forma mais eficaz de ganhar massa muscular. Isso ocorre, segundo o pesquisador, porque neste treino de 3 vezes por semana o músculo é exigido com mais frequência e passará mais tempo crescendo.

O segredo da eficácia do supracitado treino é incorporar as leis da anatomia funcional. Faça o treino dia sim, dia não, para obter ganhos notáveis.

Como Ocorre O Desenvolvimento Muscular Baseado Na Ciência

Para entender como a hipertrofia atua e o desenvolvimento muscular ocorre, é preciso entender apenas três princípios básicos. Veja a seguir.

  • Tensão Mecânica: Treinamento de força pesado (pesado é relativo ao que é desafiador para você). Isso é semelhante ao treinamento de levantadores olímpicos e powerlifters – eles treinam especificamente para mover cargas pesadas.

Qualquer resistência contra o músculo durante um período de tempo vai criar tensão.

  • Estresse metabólico: tipicamente atingido por meio de treinos de repetição média e alta que induzem fadiga e falta de ar. Também causa a sensação de queimação, ao esgotar o oxigênio nos músculos.

Você sabe como seus músculos incham após conjuntos de alta reputação? É para isso que estamos indo aqui. Este sentimento também é conhecido como a bomba para a maioria dos ratos de ginásio.

  • Dano muscular: A dor muscular após o treino geralmente é indicativa do dano muscular, também conhecido como dor muscular de início tardio (DOMS). Este é o resultado de micro-lágrimas no tecido muscular (uma coisa boa, você mente).

Isso vem principalmente da porção excêntrica de um movimento. Então tente manter seus excêntricos lentos e controlados durante as séries de alta repetição.

Quando É Possível Começar A Observar A Hipertrofia Agindo

Existe um estudo clássico que foi feito por um pesquisador chamado Narci e seus colaboradores para verificar qual é a resposta do corpo durante um período de treino.

Nos dois primeiros meses de treinamento aconteceu um aumento muito grande na força. Repare que depois de poucas semanas o aluno, em muitos casos, já é capaz de quase dobrar o peso utilizado no treinamento.

Isso garantido pela ativação neural, ou seja, uma adaptação do Sistema Nervoso que provoca um ganho muito rápido de força em um período pequeno de tempo.

O Primeiro Passo

Nesse primeiro momento, o principal contribuinte é a adaptação neural. Mas no decorrer do treino (a partir do segundo mês até o terceiro) vemos que a variável da ativação nervosa passa a ser menos importante do que a hipertrofia quando o assunto é aumento de força.

O desenvolvimento muscular começa a caminhar de forma cada vez mais importante para garantir a progressão da força, que é o objetivo principal da musculação.

No estudo deles foi evidenciado que há uma troca: no terceiro mês a hipertrofia já é a variável mais importante para permitir a força.

Outros estudos já indicaram que uma pessoa não treinada tem de 6 a 10 semanas de período neural. No caso de atletas, esse período neural pode ser de poucas semanas ou poucos dias.

Então quanto mais treinado o aluno for, menor será o período neural. E mais você poderá trabalhar o ganho de massa muscular para continuar mantendo a ativação e aumento da força.

Essas pesquisas concluíram que 6 a 10 semanas é um período muito bom para já garantir a hipertrofia. Então, se você alterar a planilha do aluno em um mês e meio ou dois, está ótimo.

Assim você já garante todo o período neural, a mudança estrutural e a mudança de planilha causa um novo período neural e um novo intervalo em que a hipertrofia será mais significativa.